LATAM avança mais um passo em sua jornada para a descarbonização

LATAM fechou hoje um acordo com a Airbus e algumas das principais companhias aéreas do mundo para explorar oportunidades de eliminação do CO2 da atmosfera por meio do sistema Direct Air Carbon Capture and Storage (DACCS)

Dessa forma, a LATAM se torna pioneira na avaliação desse mecanismo de redução de emissões na América Latina

Mais um passo para uma operação carbono neutro foi dado hoje pelo Grupo LATAM ao anunciar a sua intenção de explorar oportunidades para a eliminação de CO2 por meio do sistema de captura e armazenamento direto de carbono no ar (DACCS, na sigla em inglês). Este anúncio será feito de forma colaborativa e em associação com outros players do setor após a assinatura de uma carta de intenções com a Airbus, um documento também assinado pela Air Canada, easyJet, International Airlines Group, Lufthansa Group e Virgin Atlantic para avaliar esse tipo de tecnologia.

Dessa forma, a LATAM se torna o primeiro grupo de companhias aéreas da América Latina a explorar essa tecnologia que permite filtrar e capturar o CO2 da atmosfera para depois armazená-lo de forma segura e permanente em grandes profundidades.

“O DACCS representa uma forma inovadora não apenas de remover o dióxido de carbono da atmosfera, mas também tem o potencial de desempenhar um papel no desenvolvimento de combustíveis sintéticos sustentáveis ​​para aviação”, afirma Juan José Tohá, diretor de Assuntos Corporativos e Sustentabilidade do LATAM Airlines Group.

O executivo acrescentou que “no caminho para a neutralidade de carbono, o trabalho colaborativo é fundamental e não existe uma solução única. É por isso que estamos implementando diferentes medidas para ser uma empresa zero emissões líquidas, incluindo mais eficiência, combustíveis de aviação sustentáveis ​​e novas tecnologias, apoiadas pela conservação de ecossistemas estratégicos e compensações de qualidade.”

O anúncio faz parte da estratégia de sustentabilidade do grupo, que busca ser carbono neutro até 2050. Para isso, a LATAM está trabalhando em seu pilar de Mudanças Climáticas, que inclui a implementação de medidas e melhores práticas para o uso eficiente de combustível para redução de emissões , o desenvolvimento do SAF (sustainable aviation fuel) e o apoio à conservação de ecossistemas estratégicos. Vale lembrar que o grupo assumiu recentemente o compromisso de utilizar até 5% de SAF em suas operações até 2030, priorizando a produção na América do Sul.

Tecnologia DACCS

O DACCS é uma tecnologia de alto potencial que permite que até 90% das emissões de CO2 sejam filtradas e removidas do ar usando ventiladores e absorvedores em uma instalação neutra em carbono alimentada por fontes de energia de emissão zero. Depois de filtrar ou remover as emissões de CO2, ele as armazena de forma segura e permanente em campos subterrâneos de petróleo e gás esgotados ou formações salinas profundas.

Como a indústria da aviação é incapaz de capturar as emissões de CO2 liberadas na atmosfera, uma solução direta de captura e armazenamento de carbono no ar permitiria que a indústria extraísse as emissões de suas operações diretamente do ar atmosférico.

A extração de carbono diretamente do ar e seu posterior armazenamento permanente constituem uma grande inovação complementar ao uso de novas tecnologias, ao uso de combustíveis sustentáveis ​​e à proteção de ecossistemas estratégicos, mas que é fundamental, como o Grupo Intergovernamental de Especialistas da ONU concluiu sobre Mudanças Climáticas, estabelecendo que o sequestro de carbono é uma das medidas necessárias para limitar o aquecimento global a 1,5°C.

Fonte: Assessoria de imprensa da Latam
Foto: Airbus

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal PILOTO RIBEIRÃO no youtube, nosso perfil no Instagram , faça parte de nosso telegram  e conheça também nossa revista digital

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.